Hoje passei pelo Mercado Municipal de Estômbar e só lá estava a padeira. Meti conversa e perguntei-lhe porquê: “É segunda-feira, não há peixe, a carne não veio e a minha cunhada já saiu” . Comprei-lhe uns bolinhos de canela (muito bons e fresquinhos). Enquanto eu contava as moedas para lhe pagar, perguntou-lhe sobre o jardim interior que ela possuí atrás da sua banca de pão.  “Estava muito despido e arranjei assim”. Senti conforto na forma em como esta senhora preocupou-se em tornar o espaço pessoal e arranjado.